25 e 26 de Janeiro: Trevinca

Mais umha vez da AMAL faremos rota polo maciço de Trevinca: o sábado partiremos de Vilanova para atingir Pena Trevinca, o mais alto cúmio do maciço com 2127m de altura, bem indo por Valmeladas ou polo Maluro e volvendo polo Sestil. O domingo turraremos até a Lagoa da Serpe desde a aldeia da Ponte. Por tanto estamos a falar dum achegamento à vertente Oeste do maciço.

Assim a ROTA partirá o sábado às 8:30 de Vilanova, para o que durmiremos já na sexta no albergue. Daremos cabo neste dia duns 30 km que deixarám atrás lugares como o Valmeladas ou o Maluro, a Morteira dos Campos, o Crestóm do Lombo Roncim, Pena Trevinca e de baixada já o Sestil. Para o domingo agardan-nos por volta de 15 km e umha dificuldade muito menor, pois como já indicamos iremos da Ponte à Lagoa da Serpe.

O MATERIAL necessário será
  • Saco-cama e toalha para o albergue.
  • Roupa de inverno: gorro, luvas, braga...Também polainas ou calças impermeaveis e se nom se tenhem é bom que o avisedes ao anotar-vos, pois podemos conseguir algumhas polainas ou argalhar apanhos caseiros
  • É interessante levar bússola para nom depender únicamente do guia. Ademais repartiremos cópias do mapa da zona a percorrer.

Quanto à COMIDA a levar, será necessário levá-la toda de casa. O único a comentar é que na rota do sábado, ao ser longa, será bo ter frutos secos ou mueslis, pois som energéticos e cómodos para ir petiscando.

Como já vimos, é importante ANOTAR-SE com tempo para que poidamos fazer a reserva do albergue. Fazede-o contestando a este correio indicando o nome dos assistentes e se necessitades polainas. A estáncia há custar 8.5 € por noite. Se tedes algumha dúvida mais podedes consultar bem no correio, bem chamando ao 988280400 (de 9:00 a 13:00 de segunda a sexta, perguntar por Antom)

NA TERRA DE NÁVIA-EU: 8-9-10 Novembro

Foto de roteiro de AMAL pola comarca do Návia-Eu
 
AMAL deslocará-se até a Galiza oriental para percorrer a terra de Oscos, no Eo-Návia. A zona de Oscos ronda os 600m de altitude, cumha altitude máxima de 950m. A maior parte da sua povoaçom adica-se à gandeiria, principalmente à produçom de carne de vacum. Tem umha grande riqueza mineral e geográfica, aproveitada historicamente polas suas gentes e patente nos indícios e restos de antigas extraçons de ferro e ouro. Som muitos os muinhos, fraguas e ferreirias que se podem atopar nas beiras dos rios, algumhas destas instalaçons ainda funcionando. É importante sobre todo a produçom de cuiteleria, por parte dos ferreiros, que é a tarefa que mais se conserva hoje e que ainda serve como verdadeiro ofício. Hidrograficamente, os Oscos pertencem à bacia do rio Návia. O Agueira, afluente deste que nasce na Fonsagrada, atravessa os Oscos e desemboca à altura de Pelorde, no concelho de Pesoz.

Durante os roteiros caminharemos nas inmediaçons do Agueira e dos seus afluentes.A sua flora está conformada principalmente por árvores caducifólias como o carvalho, a bidueira, o castinheiro ou o freixo, rodeadas de outras coma o azivro ou o teijo. No que respeita à fauna nom podemos esquecer a presença do lobo (Canis lupus) que conta com um número considerável de indivíduos na serra da comarca.

A sexta-feira e o sábado, disporemos dum lugar a coberto no que fazer noite, no concelho de Santalha. É necessário levar isolante para o chão e saco de dormir e comida para o fim de semana.
Os roteiros serám o Sábado e o Domingo.
Dificuldade média-baixa.

Enviaremos mais informaçom nos próximos dias. Podes ligar ao 687 913 857 para qualquer consulta.

Podes ver umha das nossas visitas á comarca do Návia-Eu clicando aquí
Publicamos un precioso vídeo sobre o Courel e animamos a visitar o web dos nossos colaboradores e companheiros de luita de SOS Courel
AXUDA URXENTE PARA O COUREL!!!

Algumhas quantas fotinhas do acampamento de montanha 2013


 
Publicamos algumhas quantas fotinhas á espera dumha crónica escrita do nosso acampamento de montanha 2013. Nos vindeiros dias publicaremos também mais fotos para ilustrar o acampamento de AMAL deste ano que decorreu no Courel.

VI ACAMPAMENTO DE MONTANHA

Desde fai anos, da AMAL organizamos um Acampamento de Montanha no último fim de semana do verao, que sempre adicamos à denúncia dalgumha das agressões que está a sofrer a nossa Terra.

Este ano, no VI Acampamento, centraremos o nosso discurso contra da exploraçom mineira, a “última moda” nos desastres ambientais que ameaçam o nosso território, impostos polos interesses do capitalismo transnacional, que reserva para o nosso país o mais lamentável papel de colónia fornecedora de matérias primas para o desenvolvimento industrial.

O IV Acampamento vai ter lugar na Serra do Courel, belida ainda mais nestas alturas do ano.

O programa é o seguinte

Sexta feira, dia 20
Recebimento a partir das 19 h.
Ceia
Jogo nocturno

Sábado, dia 21
Almorço
Roteiro: Rota circular partindo desde a aldeia de Hórreos.
Ceia
Foliada e jogos nocturnos.

Domingo, dia 22
Almorço
Rota etnográfica
Jogos populares

12h.
Palestra informativa sobre a situaçom do Courel.
Dinámica de grupo: Alternativas.
Jantar
Sobre mesa e encerramento.

O preço do acampamento é de 20 euros, destinados à elaboraçom das comidas e a sufragar outros gastos derivados da organizaçom. A ementa é a seguinte:
- Almorço (Sábado e Domingo): Café, leite, cacau, torradas, marmelada, fruta.
- Comida para o roteiro: Um par de sandes e fruta.
- Ceia Sábado: Lentelhas e arroz, pam; Sobre mesa de castanhas do Courel; Café.
- Jantar Domingo: Massa, pam; Salada; Sobre mesa de castanhas do Courel; Café

Todos as ementas serám elaboradas sem carne nem peixe, exceptuando as sandes do roteiro que incluirám opçom carnaca.

 Outras questions de importancia
 
- A ceia da sexta feira vai por conta de cada montanheira, nom a organizamos nós.
- Cumpre levar prato, copo e talheres para as comidas, e todo o necessário para durmir (tenda, saco...).
- A aldeia de Horreos, onde imos fazer noite e as actividades do Domingo tem auga numha fonte. Cumpre que cada quem leve a sua garrafa ou cantimplora.
- Nom dispomos de ponto de luz, polo que era boa cousa levar focos ou lanternas.
- O roteiro do sábado parte às 9h desde a aldeia de Horreos; às pessoas que cheguem o sábado cumpre que esteam pontuais a esta hora.
-Os carros nom se podem meter na aldeia de Horreos, polo que ficarám estacionados a um Km de distância, aproximadamente. Indicaremos com um cartaz a zona de estacionamento, mas se houver qualquer dúvida podedes ligar aos telefones: 687 913 857 // 649 536 270
- Se alguem nom solucionou o jeito de ir ou volver, que ligue para nos, que ainda fica algumha vaga de carro.

Como chegar
Desde Ourense:
Desde Lugo:
 
Mais informaçom, consultanos no nosso co-e: aguaslimpas@gmail.com

A AGRUPAÇOM DE MONTANHA AUGAS LIMPAS (A.M.A.L.) é umha organizaçom independentista de defesa da terra. Toma o seu nome de um dos campamentos que o Exército Guerrilheiro do Povo Galego Ceive tinha nos Montes do Invernadoiro, no Maciço de Maceda.

A Terra galega comprende a actual Galiza administrativa e os territórios históricos orientais da Terra Návia-Eu, Vale de Íbias e Berzo,
a Cabreira e a Seabra.

A defesa da Terra implica conhecer, sentir, respeitar, desfrutar e identificar-se com o nosso País, o seu povo e a sua cultura.

A defesa da Terra implica defender o direito das galegas e galegos a vivermos dignamente no nosso território, sem ingerências impostas desde fora.

A defesa da Terra implica viver e relacionar-se com outras pessoas e com a natureza longe dos parámetros do consumo, individualismo e depredaçom capitalistas.

A defesa da Terra implica construir umha comunidade de resistência que faça frente à violência e espólio sistemáticos que se exercem sobre os recursos naturais, económicos e identitários da Galiza.


A AGRUPAÇOM DE MONTANHA AUGAS LIMPAS tem como actividades:

  • Conhecimento e desfrute da nossa Terra.
  • Marchas e campamentos de montanha.
  • Conscientizaçom e denúncia das agressons sobre o nosso território.


As actividades desenvolvem-se em território galego. O funcionamento interno é assembleário, havendo responsáveis de distintas funçons e actividades.

O símbolo da AGRUPAÇOM DE MONTANHA AUGAS LIMPAS é um/ha montanheiro/a com cabeça de cabra, símbolo de identificaçom com a nossa Terra.

Poderá fazer parte da A.M.A.L. qualquer galeg@ que partilhe estes princípios e esteja dispost@ a participar nas suas actividades.